FAZ-TE MEMBRO DESTE BLOG E RECEBE NOTIFICAÇÕES DOS NOVOS POSTS

terça-feira, 25 de agosto de 2020

A caminhada

Serra a cima, serra a baixo, os dois fomos um: ajudaste-me a transpor a fronteira dos meus medos, subimos e descemos o vale e avançámos depois aos ziguezagues pelas margens do rio, porque não há um caminho directo para nada que valha a pena. E no final, mergulhámos nas águas translúcidas e límpidas do rio, como se tivéssemos a entrar num merecido paraíso ou mesmo num antigo lugar de onde partimos outrora. 

Se esta caminhada não foi uma metáfora da vida, então foi um sonho partilhado que tivemos  numa cabana de madeira no sopé da montanha, tão real e concreto que nos pareceu verdadeiro. 

Nota: A própria forma parabólica do vale evoca a vida: nascemos espírito, caminhamos depois  no sentido descendente da terra, da matéria. Mais tarde iniciamos de novo a subida para o céu, até ao que é leve e somente ideal. 


Sem comentários :

_