FAZ-TE MEMBRO DESTE BLOG E RECEBE NOTIFICAÇÕES DOS NOVOS POSTS

quarta-feira, 10 de junho de 2020

A pedra

Preso, quase esmagado, 
por debaixo da pedra, lembrei-me:
não há difamação, 
apenas auto-censura.

Levantai a vossa pedra, irmãos, 
e confessai-vos.

2 comentários :

CÉU disse...

Cada um tem a sua, pedra, claro.

A autocensura é uma reação natural, embora pensemos que não.

Confessar nunca me confessei. Vejo isso como um passar dos pecados para outro, que, provavelmente terá mais que nós, não sei.

Seja feliz!

Luís Palma Gomes disse...

Olá, Céu

O que desejo neste curto pensamento/poema é chamar atenção que muita da nossa crítica ou maledicência do outro, é reflexiva. Ou seja, é uma crítica a nós próprios ou terá como consequência condicionar quem a fez, dado que moralizou e em alguns casos fica perante um dilema: ou não faz o mesmo ou se porventura o faz, fica com uma má consciência.

A confissão é um ato de humildade e de auto-reconhecimento de um mau procedimento. Para um cristão, é um pedido de perdão a uma entidade superior. Mas que não invalida o pedido de desculpas ao ofendido, que deve até acontecer antes.

No mínimo, é um exercício de humildade.

Obrigado pelo seu comentário, Céu.

Abraço,

_