FAZ-TE MEMBRO DESTE BLOG E RECEBE NOTIFICAÇÕES DOS NOVOS POSTS

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

a gralha e a raposa

a gralha branca esvoaça no ato clínico de nascer
entre as pernas da sua virgem mãe

traz no bico um pedaço de pão
roído por gengivas gastas e amarelecidas
pelo mesmo vento seco que contaminou as casas

astuta, a raposa pede-lhe que cante
e a gralha imita a primeira palavra
enquanto a vela derrete a noite da aldeia

o pão cai-lhe do bico
e a raposa engole-o cheio do resto da vida
 

1 comentário :

Luis disse...

Gosto das palavras que escolhes

_