FAZ-TE MEMBRO DESTE BLOG E RECEBE NOTIFICAÇÕES DOS NOVOS POSTS

domingo, 15 de abril de 2012

O Chico



Descobri a música do Chico Buarque quando era adolescente. Estavamos no início dos anos 80. Gostava das letras e da simplicidade da música (MPB) que vinha ao encontro da revolução musical portuguesa, onde surgiu também um imenso caudal de produção de música popular  (Trovante, Vitorino, Sérgio Godinho, ...). Ouvia repetidamente a cassete verde do "Chico e Caetano juntos ao vivo" que um amigo me emprestara (O mesmo amigo que me apresentou o FMI do José Mário Branco).

Ouvia-o e não sabia se eram as ninfetas do Liceu que me faziam gostar das suas músicas ou o contrário.  Mais tarde, todos aqueles que me conheciam os gostos  encheram-me de "vinis" do Chico nos "Natais" e "Aniversários". Vi-o uma vez apenas no Campo Pequeno. Timido, honesto, humilde e só por isso um gigante gracioso da cultura luso-brasileira.  Gostava quando ele vinha a Portugal e jogava a sua "peladinha" com os gadelhudos jogadores daquela altura. Mais tarde, li os vários livros dele, mas foi com o "Leite Derramado" que fiquei fã também da sua escrita.

Gostava de o ver mais uma vez. Agora que já entrei nos quarenta, seria um ajuste de contas comigo através de todas as músicas dele que marcaram aqueles que como eu as ouviram e as sentiram.

Todos precisamos de heróis. Eu não escapo à regra. Se mais não fosse, valeu pena ter nascido para conhecer  a criação do Chico.

Sem comentários :

_