FAZ-TE MEMBRO DESTE BLOG E RECEBE NOTIFICAÇÕES DOS NOVOS POSTS

domingo, 5 de julho de 2020

Os móveis

Há pessoas que não param.
Não se deixam desenhar. 
São alvos imprecisos do olhar dos outros,
impossibilidades estáticas, 
sombras esquivas do sol,
filhos deserdados 
da imortalidade dos traços. 

4 comentários :

CÉU disse...

Há pessoas que escrevem muito bem. É o seu caso, Luís!
E há essas pessoas de que fala o seu inteligente e agradável poema.

CÉU disse...

Outra coisa: qdo o comentário é publicado, lá em cima aparece a frase: "O seu comentário foi guardado", mas, de facto, não ficou para aprovação. Sabia disso?

Luís Palma Gomes disse...

Sim, sabia. Obrigado pelo alerta. Não optei pela validação. Se houver problemas, coloco, então,

Luís Palma Gomes disse...

Quando escrevi este poema, estava a tentar desenhar pessoas na praia e elas, porque nunca estavam quietas, impediam-me de terminar os desenhos. Levemente indisposto, escrevi o pequeno "Imóveis".

_