FAZ-TE MEMBRO DESTE BLOG E RECEBE NOTIFICAÇÕES DOS NOVOS POSTS

quarta-feira, 28 de junho de 2017

O caminho

"Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que leva à perdição" Mateus, 7:13


O caminho é estreito e a floresta densa
É natural que a palavra se perca
enredada em raízes ou ecoando sem tino
contra os troncos das árvores

O caminho é estreito
e, milimétricos, os passos que seguem
pela longa viga suspensa sob confusão mental

O caminho é estreito
tão estreito que só tu cabes nele
Mas se o percorreres
convergirás em mistério
para a praça maior dos outros

O caminho é estreito,
assim como os passos são apenas dele

Avança



sexta-feira, 16 de junho de 2017

Uma trindade simples

Como alguém que rasura na casca de uma árvore, não posso deixar de um "Luís Loves Frank Capra" no tronco do Àrvore com Voz.

Os TVcines decidiram passar três filmes (mês de junho) do italo-americano Frank Capra. Todos eles foram nomeados e galardoados com óscares da Academia. Parecem westerns urbanos, com os heróis e os vilões bem definidos, uma história de amor a acompanhar e os heróis sempre a vencer o mal de forma épica, deixando um lastro de moral bíblica ao longo de toda a película.

Que a terra te seja leve, Frank, porque realizaste três obras que me divertiram e inspiraram-me a tentar ser um ser humano melhor.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mr._Deeds_Goes_to_Town

https://pt.wikipedia.org/wiki/You_Can%27t_Take_It_with_You

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mr._Smith_Goes_to_Washington
Mr.Deeds goes to Town (1936)
You cant´t take it with you (1938)

Mr.Smith goes to Washington (1938)

terça-feira, 6 de junho de 2017

Ensina-me

Ó meu Jesus Cristo
Ensina-me a caminhar sobre as águas
A não temer o impossível
Ensina-me a amar a morte, a enfermidade e o inímigo

Deixa-me dar-te a mão, Jesus,
e caminhar ao teu lado como um apostolozinho cego e mudo
E com a outra mão, deixa-me ajudar o meu irmão
a carregar a sua cruz, como fez o cirineu

Se Tu pudesses falar por mim,
apenas com a expressão dos meus olhos,
um silêncio reparador alastraria à minha volta
E nas trevas carnudas da minha cegueira
nasceria a primeira manhã 
_