FAZ-TE MEMBRO DESTE BLOG E RECEBE NOTIFICAÇÕES DOS NOVOS POSTS

segunda-feira, 17 de junho de 2013

A crise dos 40 - Parte II

Há alguns posts atrás, transcrevi neste blogue um extrato do genial poema de Fernando Pessoa, "Tabacaria", onde estabelecia um paralelo entre esse extrato e a famosa crise dos 40.

 Para ficar de consciência tranquila, não podia deixar de transcrever um segundo extrato de outro poema genial, o "Relatório e Contas" de Ruy Belo, extraído do seu livro "Boca Bilingue". Aqui, como na "Tabacaria", a abordagem do arrefecimento da vida humana é tratada, a meu entender, de forma sublime:

"Setembro na verdade é mês para voltar
Podes tentar ainda alguns expedientes respeitáveis
multiplicar diversas diligências nos ameaçados cumes dos outeiros
ser e não ser fugir do rótulo aceitar e esquivar o nome fixo
E no entanto é inevitável: a temperatura descerá mais dia menos dia
Calas-te então cumprido como um rosto e puxas toda a tarde
sobre esse corpo que se estende e jaz
Andaste de lugar para lugar e deste o dito por não dito
mas todos toda a vida teus credores saberão onde encontrar-te
pois passarás a estar nalguma parte
Tens domicílio ali que a terra sobe levemente
e toda a tua boca ambiciosa sabe e sente quanto barro encerra"


Ruy Belo

"Boca Bilingue"

domingo, 16 de junho de 2013

Coisas simples

Há coisas simples e agitadoras. Coisas que destroem para que seja possível reconstruir. Tal como a renovação celular, precisamos de destruir regularmente as camadas de verniz que colocamos na pele para que os poros respirem melhor. Precisamos da loucura para continuarmos lúcidos.



segunda-feira, 10 de junho de 2013

"O que é a vida?", segundo Kierkegaard

Todos os dias somos confrontados com  citações de grandes pensadores. Estas grandes frases podem
ler-se nos jornais, nas redes sociais ou mesmo se fizermos uma consulta nos motores de pesquisa. 

Algumas delas, que nos parecem brilhantes à primeira leitura, depressa perdem  a genialidade  se as analisarmos com um olhar mais crítico. As piores de todas parecem  slogans publicitários tal a sua falta de sustentabilidade e sensatez.

Esta semana, porém, li uma citação que me fascinou. E quanto mais penso nela, mais me  parece fantástica e reveladora. Escreveu-a Soren  Kierkegaard. 









segunda-feira, 3 de junho de 2013

Wagner em versão " Pop Art "

O meu amigo Ricardo Simões tem duas costelas, uma wagneriana e outra de artista plástico. Resolveu juntar as duas e eis um "Wagner Pop Art Version".

Se ainda houvesse espaço social  para escândalos, depois da invenção dos jornais tablóides, este seria um estrondo. Infelizmente, esta imagem, nos dias de hoje, é apenas um barulhinho. Mas que gostei , gostei.



_