FAZ-TE MEMBRO DESTE BLOG E RECEBE NOTIFICAÇÕES DOS NOVOS POSTS

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Ladainha dos Póstumos Natais


Há-de vir um Natal e será o primeiro em que hão-de me lembrar de modo menos nítido

Há-de vir um Natal e será o primeiro em que só uma voz me evoque a sós consigo

Há-de vir um Natal e será o primeiro em que não viva já ninguém meu conhecido

Há-de vir um Natal e será o primeiro em que nem vivo esteja um verso deste livro

Há-de vir um Natal e será o primeiro em que terei de novo o Nada a sós comigo

Há-de vir um Natal e será o primeiro em que nem o Natal terá qualquer sentido

Há-de vir um Natal e será o primeiro em que o Nada retome a cor do Infinito

David Mourão-Ferreira (in "Obra Poética: 1948-1988")

sábado, 20 de dezembro de 2008

Paranoid Park , exercício da realidade


“ Isto é mesmo assim” . No final deste brilhante e magnifico exercício de cinema pairava esta frase na minha consciência . Penso que esta expressão é a que define de melhor forma esta encantadora obra de Gus Vant San . O romantismo que a corrente main – stream sempre deu á adolescência , nesta obra é completamente desmascarada. Um jovem inadaptado , um homicídio cometido não voluntariamente, falta de acompanhamento pelos os pais são os ingredientes que misturados e cozinhados pelo génio Gus Vant Sant dão realmente a faceta de realidade e naturalidade a uma historia ficcionada . Para além de todos as suas qualidades , Paranoid Park é acompanhado por uma banda sonora que vem ainda mais reforçar a veracidade e o realismo com que esta obra foi construída. Excelentes interpretações dos actores , que sempre souberam jogar com o ambiente e as intenções do realizador . Filme indispensável para quem não sabe o que é adolescência de hoje em dia, e para a compreensão de vários problemas , duvidas e fantasmas que até um adolescente pacato poderá ter . Porque no fim todos nós somos iguais .

Pedro M. De Castro

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Filosofia on the road

Depois de um dia de um nevoeiro gelado que varreu a baixa lisboeta e que me apanhou a caminho da Sé de Lisboa, onde pude contemplar o minucioso Presépio de Machado de Castro (Séc.XVIII),






cheguei ao carro e liguei o ar condicionado. O calor foi tão confortante que me lembrei dos ensinamentos do fíloso alemão Schopenhauer: "Não existe prazer, mas apenas alivio da dor".




Arthur Schopenhauer (Danzig, 22 de Fevereiro 1788 — Frankfurt, 21 de Setembro 1860) foi um filósofo alemão do século XIX

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Na rota do IC19 - Fábrica da Pólvora


Aproveite as férias de Natal para visitar a Fábrica da Pólvora em Barcarena. Este espaço de lazer e cultura, situa-se em Barcarena, no vale da Ribeira de Barcarena. A ribeira foi aliás a fonte de energia da fábrica, ora através do aproveitamento directo da corrente ribeirinha, num sistema idêntico à moagem dos cereais através de azenhas, ora através de uma pequena central hidroeléctrica que era substituída por um gerador a diesel, quando o caudal do rio não era suficiente.

A fábrica, que funcionou entre 1540 e 1940, tornou-se hoje um museu de arqueologia industrial e um jardim belíssimo nimbado de galerias, auditório, restaurantes e bares.

A abordagem rodoviária pode ser efectuada pelo IC19 (desvio para São Marcos) ou A5 (desvio para Oeiras-Paço de Arcos).

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

"Já lá estamos"


Tem cinco filhos e sempre que me desloco ao Centro de Saúde, vejo-a atarefada nas limpezas. Esta Cabo-Verdiana, suponho ser essa a sua nacionalidade, tem uma cara bonita e simpática. Disseram-me que foi abandonada pelo marido, à semelhança de tantas outras emigrantes africanas vitimas da poligamia cultural dos consortes.

Hoje, dia 5 de Novembro de 2008, quando o Senador Obama foi eleito o 44º presidente dos EUA, esta empregada da limpeza virou-se para mim, a propósito desta vitória eleitoral, e confessou-me: "Já lá estamos!".

Partilho a sua opinião. Apesar da difícil missão de Barack Obama, que terá de enfrentar uma crise financeira, um pais com necessidade de investimento interno nas suas infraestruturas e uma guerra com desfecho imprevisível, estou ciente que acabou uma etapa na história e começou outra.

Boa sorte, Obama. Conta comigo!

domingo, 19 de outubro de 2008

Paris




Paris. Cidade da luz e da insatisfação, por onde o Sena corre do luxo ao lixo. O filme "Paris" de Cédric Klapisch - realizador de'"A Residência Espanhola" e de '"As Bonecas Russas"- gira em torno de um perfil de cidade configurado pela história e génese dos seus habitantes.

Pierre está doente. Os médicos garantem-lhe apenas alguns meses de vida e a hipótese remota de um transplante de coração. A irmã de Pierre vive sozinha com três filhos resultantes de dois casamentos "falhados". Quando toma conhecimento da doença cardiaca do irmão, muda-se para o seu apartamento. Em simultâneo, a estória de dois grupos de personagens evoluem em paralelo. Algumas personagens entram em crise. Perderam algo e hesitam em reencontrar a esperança. Pierre está prestes a perder tudo e, contudo, parece que essa proximidade da morte o ilumina. Perante essa revelação de esperança, faz subtilmente chegar essa mensagem de que a vida continua para além das crises, das perdas ou angustias.

Enquanto, Pierre segue de Taxi a caminho da sala de operações, onde o novo coração o espera, vai olhando as ruas de Paris no seu ritmo insatisfeito tão ao jeito da humanidade dos seus trauseuntes.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

DEOLINDA na Aula Magna



O grupo lisboeta Deolinda actua no dia 18 de Outubro na Aula Magna em Lisboa.

O concerto serve para apresentar o disco de estreia "Canção Ao Lado" que tem vindo a receber aplausos do público e da crítica. Nesta noite não vão faltar canções como "Fado Toninho" ou "Fon Fon Fon" interpretadas por Ana Bacalhau, Pedro Martins, Luis Martins e José Leitão.

Os bilhetes para o concerto da Aula Magna custam 15 euros para o Anfiteatro e 20 euros para as Doutorais.

Mais concertos:

17 Out: Teatro Aveirense

Aveiro 23 Out: Teatro José Lúcio da Silva

Leiria 05 Dez: Centro Artes

Portalegre 13 Dez: Casa Artes

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Um encontro






Por mais que lhe tentemos fugir, o destino se encarrega de marcar um novo encontro com Ele. De nada vale negá-lo definitivamente, ainda que momentaneamente, e sem má fé, achemos conveniente fazê-lo – como o apóstolo Pedro o fez.

Enfrentemos a sua verdade, onde quer que ela esteja: No sagrado, no mistério ou na ciência. Sendo esta última hipótese, aquela em que acredito que Ele guardou os seus eternos desígnios.

Todos os caminhos para Deus são apenas começos, partidas para uma viagem que só cada um de nós conhece intimamente a direcção e o sentido.

Senhor, sei que estás no amor do filho, no companheirismo da mulher ou nos instintivos olhos dos animais. Afinal, tu não escondes o teu rosto!

Encontramos-te com maior facilidade nos momentos difíceis e por isso te chamamos Pai. Queria encontrar-te também nos momentos felizes. Juntar a palavra Deus e Alegria, devia ser a nossa obrigação para ti, Senhor. A alegria nos momentos difíceis é a maior celebração da fé. A felicidade é ténue e jamais encontrei com clarividência a sua presença na realidade. A alegria, sim. Está contigo por todo o lado: nos cumprimentos matinais, no salutar humor, no trabalho e na vitória.

Tenho a certeza que quando acreditarmos na alegria de Deus entraremos de mãos dadas, cantando, pela morte adentro.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Akira Kurosawa e Woddy Allen na RTP2

Este sábado a RTP2 brinda-nos com dois filmes de especial relevo: "Os Sete Samurais" de Kurosawa e "Balas sobre a Broadway" de Woody Allen.





"Sete Samurais" é um dos filmes da minha vida. Logo, é difícil para mim explicar num post aquilo que penso sobre estes filme. Genericamente, este filme rodado em 1954 pelo Mestre Kurosawa, pode ser visto numa perspectiva lúdica como um filme de aventura ( ao jeito dos western de John Ford) de grande dimensão e sobretudo um clássico. Este filme, em termos técnicos, foi bastante inovador à data da sua realização, utilizando a técnica "Wipe" para efectuar as mudanças de cenas - técnica mais tarde utilizada por George Lucas e na "Guerra das Estrelas". E há mesmo quem diga que iniciou um sub-género de aventura. No mínimo, existem já remakes e outros derivados desta obra.

A minha perspectiva da obra, ultrapassa o filme de aventura-acção. Classifico como um diálogo entre duas éticas: A dos camponeses e a dos samurais. A primeira, medrosa e sedentária. A segunda, temerosa e nómada. A partir destes adjectivos muitos outros se acrescentam na análise psicológica aos personagens do filme. Quanto a esta variedade, havia muito mais para falar (mas o melhor é mesmo ver) já que são Sete Samurais e todos eles de personalidade bastante própria.

Ver resumo aqui.







"Balas sobre a Broadway" é uma irresistível e sarcástica paródia sobre o mundo do teatro - os seus tiques e absurdos. Para rir e pensar ao mesmo tempo, bem ao jeito da comédia judaíca.

Ver resumo aqui

Horário

Sábado, 13 de Setembro

22.45 - Balas sobre a Broadway
00.25 - Os Sete Samurais (3horas e 30 minutos)

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

A de Átomo



Há tanto tempo

sem tempo

para o tempo,

posso apenas dar-vos a celebrar

o brilho estatutário da letra A


Luís Palma Gomes

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Deolinda

Hoje enquanto ouvia a rádio, fui surpreendido por este som. Não sabia quem eram os artistas, nem sequer o nome da música. Insisti no Google com as palavras "fan fan fan" e "Romantismo" sem sucesso. Procurei na Antena 3 e nada. Depois voltei ao Google e pesquisei por " Top Musica Nacional" e lá encontrei um nome que sugeria fado: DEOLINDA. Avancei na pesquisa e lá descobri esta singela peça musical denominada: "Fon Fon Fon". Já dizia o Pablo Picasso: "Eu não procuro, encontro". Hoje, comigo passou-se algo semelhante, primeiro encontrei e depois procurei. Entre os comentários do Youtube.com, destaco um deles que serve que "nem ginjas" aos Deolinda: "A Qualidade é Simples".


segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Conselho


Dou-vos um conselho: Deita-vos debaixo de uma árvore municipal, sobre uma terra sem valor comercial, olhando um astro que não esteja registado em nenhuma conservatória do registo predial. Encontrareis, neste gesto, uma perspectiva daquilo que penso ser o BIOSOCIALISMO. É relaxante, gratuíto e sem emissões de CO2

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Gatos & Gatos

Gatos: Quase ninguém fica indiferente aos bichanos. Para alguns, são falsos e não conhecem o dono. Para outros, são calmos e sensuais. O Prof.Agostinho da Silva, que tinha muitos gatos e ao que parece não lhe punha nomes, tem uma frase singular: " O Gato é um animal que se cumpre". Esta frase entende-se melhor quando lemos e/ou escutamos este poema de Fernando Pessoa (O Professor era também um Pessoano assumido):




Titulo: "Gato que brinvas na rua" de Fernando Pessoa


Gato que brincas na rua

Como se fosse na cama,

Invejo a sorte que é tua

Porque nem sorte se chama.


Bom servo das leis fatais

Que regem pedars e gentes,

Que tens instintos gerais

E sente só o que sentes.


És feliz porque és assim,

Todo o nada que és é teu

Eu vejo-me e estou sem mim,

Conheço-me e não sou eu.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

"Os meus primeiros anos" - Winston Churchill


Editado pela Guerra e Paz, a auto-biografia de Winston Churchill recomenda-se. Depois de uma escolaridade em que foi apenas sofrível, o antigo PM britânico frequenta a Academia Militar e de seguida engrossa diversas frentes de guerra do grande império victoriano, nomeadamente, Cuba (como convidado da coroa espanhola), Africa do Sul (Guerra Boer), Sudão e Paquistão. O livro relata com alguma nostalgia o fim de uma época em que a guerra era mais "romantica" - romantismo que desaparece com a carnificina da Primeira Guerra Mundial e das suas "Dantescas" máquinas de matar.



Churchill conta-nos a sua história de 1874 a 1902. Período durante o qual inicia também a sua feliz carreira política. A forma aberta e corajosa como este homem, Nobel da Literatura em 1953, fala das suas fraquezas e incertezas, é por certo uma das suas lições de coragem e honestidade intelectual. Um dos mais audazes e corajosos líderes do século XX não era perfeito e assumia-o com facilidade, em 1930, data da publicação da primeira edição deste livro - evento precedido de uma derrota política dos "tories".


Uma das suas frases célebres, mostra o seu génio desasombrado: "Um apaziguador é alguém que alimenta um crocodilo na esperança de ser o último a ser comido".


segunda-feira, 7 de julho de 2008

Roma


Roma Antiga confunde-se com génese da civilização ocidental. Somos basicamente fruto do Cristianismo, Pensamento Grego e Direito Romano. Mas temos de concluir que estes três factores acabaram por confluir no caudal da Civilização Romana. Tudo isto para vos dizer que se poderem não percam a série televisiva "Roma" - de 2ª à 6ª feira na RTP2 às 00.30 horas. Uma co-produção HBO (EUA), BBC e RAI que enreda, entre outras histórias, o final do primeiro triunviriato romano. História, Acção, Sexo e Intriga Política são o forte desta série de tanta qualidade.


A segunda parte da série começa hoje. A não perder, Mamma Mia !!!

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Mátria


O racionalismo de alguns empurra-os para o Iberismo (Fusão entre os dois paises ibéricos).

Confesso que as ideias de Descartes entusiasmam-me e que o "Discurso do Método" é para mim uma espécie de bíblia.

Porém, ninguém muda de MÃE só porque encontrou uma senhora mais rica do que ela.

Viva Portugal e todas as outras pátrias do mundo!

terça-feira, 1 de julho de 2008

Mais Belo

Em " A mão no Arado", Ruy Belo escreveu "Mas ó poeta administra sabiamente a tristeza". E ao deixar-vos aqui mais um contributo youtubesco ao mais proeminente poeta português da segunda metade do século XX, Ruy Belo, aconselho-vos a usar a melancolia com a devida parcimónia. Que foi o que Marilyn Monroe não fez num determinado momento da sua curta vida.

Poema dito por Luis Miguel Cintra



quarta-feira, 25 de junho de 2008

Soldado e Poeta

"Guardar para a reforma, ou quando tivermos disponibilidade para isso, a capacidade de criar uma coisa que ninguém criou nunca. Temos de ser soldados e poetas. Camões andou nisso. Conseguir juntar a guerra, que é a ocupação de lugar, e a poesia que é um fazer como tivessemos desprendidos disso" - extracto de um extracto desta entrevista ao prof.Agostinho da Silva :


quinta-feira, 19 de junho de 2008

Rap de Peixe

Em S.Miguel, conheci Sandro G, o famoso rapper de Rabo de Peixe. O Sandro viveu nos EUA e trouxe de lá um Rap de qualidade que fundiu com as referências locais. É um músico humilde, com valor e cheio de raça. Força, Sandro !




Num dos videoclips do Sandro, "Eu não vou chorar", o realizador Nuno Marques deixou-se levar pela "jóia da coroa" de Rabo de Peixe - as crianças. Ora vejam:


segunda-feira, 16 de junho de 2008

Rabo de Peixe - a vila das crianças


Acabo de entrar no quarto do hotel, vindo da vila piscatória de Rabo de Peixe( S.Miguel – Açores). Ligo e desligo de imediato a televisão. Fecho os olhos, tentando reter as imagens que trouxe da visita. Apesar dos problemas sociais da vila, a visita foi enriquecedora. As ruas estavam repletas de crianças felizes e livres. No porto, jogavam “à-bola” num jogo de quinze contra quinze com mais trinta a assistir, enquanto outros, mais dados aos prazeres da água, banhavam-se nas translúcidas águas do cais. Nas ruas, debruçavam-se aos magotes pelas pequenas janelas quando uma zaragata entre homens colocou a vila em efervescência. Depois quando as coisas acalmaram, olhavam com curiosidade os adultos ou os estranhos como eu.

Cada casal tem muitos filhos – nove, dez ou mesmo mais. Esta maré-cheia de crianças torna a vila surreal. Positivamente, surreal. As crianças correm com a alegria estampada no rosto. Nunca tinha visto tão grande liberdade – apesar do conservadorismo latente nas relações sociais e familiares. Se a rapariga começa a namorar, o noivo obriga-a a deixar a escola, as pequenas raparigas quando se banham no porto, têm de fazê-lo de t-shirt e calções. E meios contraceptivos são duas palavras vãs.
Nunca tinha visto nada assim. Quando o meu sogro me falava das multidões de crianças correndo ruas durante a sua infância numa aldeia beirã, eu achava o facto irrepetível . Em Rabo de Peixe, viajei no tempo. Porém, ainda não decidi qual o sentido da viagem: Para o passado ou para o futuro ?

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Parabéns à RTP1




Realço duas escolhas corajosas da RTP1: O programa sobre a Cova da Moura apresentado pela Catarina Furtado em horário nobre e a passagem para a grelha semanal do programa de produção nacional: "A Liga dos últimos". Este último é evidentemente um produto de extrema criatividade e bom gosto. Aproxima o país global dos "figos e ronaldos" ao pais real do futebol amador. Aproxima-nos de nós próprios.
Os clubes, jogadores e dirigentes da "Liga dos Últimos" são os nossos vizinhos, colegas e amigos - quanto não somos nós próprios. São, enfim, os Amadores - logo os que jogam por amor.
Para temperar, a qualidade de Álvaro Costa, o humor carinhoso do Prof.Hernáni Gonçalves (Prof.Bitaites) e a rusticidade do Capitão Moura. A não perder.

Agende: "Liga dos últimos" - RTP1 - Sextas-feiras às 21.30 h

Clique aqui para: Ver programas antigos na Internet

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Sinto, logo sou

Como nasce o poeta ? Nasce da profunda capacidade de percepção do exterior e da posterior dificuldade em comunicar as sensações percepcionadas. Gera-se, com este desajuste (Recepção/Transmissão), um problema de eficácia que a poesia ajuda a resolver.

Mobilizam-se então os diversos mecanismos estéticos, artísticos e comunicacionais com o intuito de aproximar o fluxo da sensibilidade da percepção com o retorno emocional de um eventual receptor. E assim se faz Poesia.

sábado, 3 de maio de 2008

Há vida ( e arte) na periferia !

Se no Harlem e na Bronx, nasceram algumas das correntes musicais que dominaram o panorama da musica pop dos últimos anos, também aqui na periferia de Lisboa, existe um conjunto de condições propícias à criação de novas manifestações artísticas de grande qualidade. Dois exemplos são os BSS - Buraka Som Sistema e os Nigga Poison:





Buraka Som Sistema - Sound of Kuduro









Nigga Poison - Dedica çon

sexta-feira, 25 de abril de 2008

25 de Abril de 1974






Em vez de entrar na discussão de classificar este dia como uma Revolução ou uma Evolução, salientaria a palavra Participação, apelando, a todos, a participar no processo evolutivo e revolucionário da realidade próxima.

O milagre do 25 de Abril foi a entrega da sociedade cívil em prol de projectos das comunidades.

Foi bonito, pá!

terça-feira, 22 de abril de 2008

22 de Abril - Dia da Terra

Quem celebra a Terra, lembra-se inevitavelmente de Miguel Torga.


"Terra, minha canção!
Ode de pólo a pólo erguida
Pela beleza que não sabe a pão
Mas ao gosto da vida!"


Extracto de "A terra" - Miguel Torga





segunda-feira, 14 de abril de 2008

Lisboa renascida




No passado sábado, visitei um amigo que alugou uma casa na freguesia de Santiago, junto ao Castelo de S.Jorge. Da varanda, pode-se avistar meia-cidade antiga: Bairro Alto, Castelo, Praça do Comércio... Mais do que espaço, da sua varanda também se avistam muitos séculos de história e muitas estórias que ficaram fora dos livros, mas que podemos especular a partir dos fados, dos edíficios e das suas gentes.

Salta à vista, a reconstrução entusiástica e cheia de vitalidade dos edíficios antigos dos bairros típicos alfacinhas. Mais do que uma tendência ou moda, acho que quem promove a reabilitação daqueles espaços (os novos moradores e reabilitadores) acabam por criar um laço entre o passado e o futuro da cidade. Bem hajam.



Registo (excelente) das casas abandonadas de Lisboa por freguesia

segunda-feira, 31 de março de 2008

Cova da Moura - um paladar genuíno


A coreógrafa Filipa Francisco em co-criação com o grupo Wonderfull’s Kova M estrearam o espectáculo “Íman” na Cova da Moura. Fui ver e surpreendeu-me bastante a qualidade da criação e o desempenho das jovens bailarinas. Esta fusão entre as danças populares africanas e a dança contemporânea é um estádio de evolução para a dança em particular e para aquela comunidade em particular. A adaptação do batuque em batida electrónica funciona de modo muito interessante. Merecem qualquer palco, porém fiquei com uma sensação semelhante quando vi as pinturas rupestres em Foz-Côa: Um espectáculo envolvido pela paisagem da sua inspiração é ainda mais emocionante, genuíno e expressivo.


Blog da Filipa Francisco

PS. Um dos projectos da Associações daquele bairro é um hotel étnico. Parece de loucos, mas faz sentido. Naquele domingo, vários estrangeiros visitavam o bairro. Giottos, Rembrandts e Van Goghs existem por todo o lado. Bairros assim, não acredito!

terça-feira, 18 de março de 2008

Construção

Valeu a pena cruzar um oceano e acartar, até terras de Vera-Cruz, um idioma e uma cultura, nem que fosse apenas pelo prazer de ouvir a poesia cantada do Chico.

domingo, 16 de março de 2008

Villa Borghese - Roma


Na passada semana, visitei Roma e, recordando alguns versos de Ruy Belo, incluí, entre os meus longos passeios pela cidade, Villa Borghese.

O poeta que viveu durante dois anos em Roma, onde se doutorou em Direito Canónico pela Universidade Gregoriana de Roma, com uma tese intitulada «Ficção Literária e Censura Eclesiástica». Quando escreveu “Muriel”, onde aborda um possivel romance vivido ou imaginado em Madrid, lembrou-se do romantismo romano e do lugar de Villa Borghese, onde a natureza, o classicismo e a beleza se misturam.


Extracto de "Muriel":


"quando há anos nas manhãs de roma

entre os pinheiros ainda indecisos

do meu perdido parque de villa borghese

eu via essa mulher e esse homem

que naqueles encontros pontuais

Decerto não seriam tão felizes como neles eu

pois a felicidade para nós possível

é sempre a que sonhamos que há nos outros"

domingo, 9 de março de 2008

A posologia da tristeza, segundo o Ruy Belo

"Feliz aquele que administra sabiamente
a tristeza e aprende a reparti-la pelos dias
Podem passar os meses e os anos nunca lhe faltará"

Extracto de "Mão no Arado" de Ruy Belo

Poema "Mao no Arado" (versão integral)

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Epifania *

A religiosidade surge onde menos se espera. Os Xutos e Pontapés são um bom exemplo desses momentos epifânicos. Esta banda portuguesa religou várias gerações de portugueses. A participação da banda, no Projecto UPA, com uma música denominada "Pertencer" faz todo o sentido.

Quantos de nós não pertencemos, em parte, à geração Xutos ?




* Epifania (ver Wiki)

sábado, 2 de fevereiro de 2008

"Into the Wild"

Retomar a corrente de pensamento que reúne o divino e a natureza através do filme "Into the wild" de Sean Penn. Um jovem licenciado decide quebrar os laços com o "carreirismo" que o espera depois das suas actividades académicas e lançar um périplo pelos Estados Unidos da América. Ele deseja trocar tudo o que a sociedade urbana espera e dá a um jovem nas suas condições por um único bem: A verdade. E a verdade para Christopher McCandless (protagnista) está à sua espera na mãe-natureza. Percorre as paisagens americanas. O epilogo porém espera-o no "Shangri-La" ecológico dos EUA: O Alaska. McCandless, leitor assiduo de Jack London e Tolstoi, encarna uma personagem profética e de cariz messiânica que deixa um rasto de amor por onde passa. Existe um sentimento latente entre os outros que se cruzam com ele: Uma ausência e vazio. McCandless acredita numa peregrinação transamericana que o faz adoptar o nome de Alex Supertramp (Super Vagabundo). Preenche com esta esperança o vazio dos outros.
Um filme que foge à gramática narrativa do filme hollywoodiano. Troca os troques narrativos pela descrição e referências estéticas e éticas. Mais uma vez apetece repetir: Se não houver terra no Céu, mais vale não haver Céu.



domingo, 27 de janeiro de 2008

"Ganhar Menos, Viver Melhor"


Era bom que existisse uma solução política para pôr em prática esta máxima. Não me parece que a partir de um determinado limte, os nossos rendimentos nos permitam viver melhor. Grande parte dos rendimentos que ultrapassam esse limite relativo é gasto em pseudo-necessidades que criamos e cultivamos "ad eternum". Ficamos sem tempo para os prazeres gratuítos como, por exemplo, estarmos com mais gostamos. Por outro lado, nas bichas dos hipermercados, com carrinhos atolados de "tretas", nunca vi grandes manifestações de alegria ou felicidade. As expressões daqueles que se encontram nessas filas parecem-me quase sempre angustiadas ou ausentes.



Porém, a grande maioria dos portugueses estão abaixo desse limite. Logo o problema não se coloca em Portugal com a acuidade de outros paises mais desenvolvidos. Mas era bom que reflectissemos acerca disto, dessa pequena questão: Onde está agora o meu verdadeiro eu ?




sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Humildade

Ao contrário do que muitas das vezes se pensa, a humildade não é a antitese da ambição. A humildade é o cimento da ambição. Porquê ? Dá-nos tempo, amigos e resistência.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Príncipio de Arquimedes aplicado à democracia


"Todo o politico mergulhado numa verdadeira democracia sofre, por parte do eleitorado, uma força vertical para cima, cuja intensidade é igual ao peso do eleitorado conquistado pelo politico."

Eureka!!

Corpo e Alma

"O corpo precisa da alma...mas a vida não pára" - cantam Mafalda Veiga e João Pedro Pais.

Ou seja, quando olhares as estrelas, tem cuidado, não trocepes no chão.

"Temos de ser duros para sobreviver e sensíveis para o merecer." - esta foi sacada do Western 'Johnny Guitar'

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

O cérebro não é nosso !

O cérebro não é um orgão com características apenas pré-determinadas pela genética. As suas capacidades cognitivas adaptam-se gradualmente ao meio e aos seus estímulos. Logo, concluí-se: "O Cérebro não é nosso!"

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Luiz Pacheco (1925-2008)


Descanse em paz o escritor que brindou as gerações futuras com a frase libertadora: "Vão para a puta que vos pariu".


domingo, 6 de janeiro de 2008

O Mestre Zen e o Rapaz

Quando o rapaz recebeu um cavalo, todos na aldeia disseram: " Que presente bestial !!".
O Mestre-Zen disse:"Veremos..."

Quando o rapaz caiu do cavalo e partiu a perna, todos disseram:" Que azar ele ter recebido o cavalo".
O Mestre-Zen disse:"Veremos..."

Quando o Rapaz livrou-se da chamada para a guerra devido à perna partida, toda a aldeia disse:"Que sorte ter caído do cavalo".
O Mestre-Zen disse:"Veremos..."

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

O Transcendental Ecológico

As grandes religiões monoteístas (Cristãos, Muçulmanos e Judeus) separaram-se da mãe-natureza, criando uma relação Homem-Deus exclusiva. O ambiente e os outro seres vivos não foram convocados para este pacto divino. Talvez tenha sido a Ordem dos Franciscanos, entre os Cristãos, aquela que mais se aproximou de o que podemos chamar uma relação ecológica entre a natureza e o Dívino. Os Budistas tem também uma especial apetência por esta relação de integração de todos os seres vivos no espaço religioso. Mas percebe-se que no futuro esta aproximação entre o Transcendente e toda a Terra, e não apenas uma ínfima parte chamada humanidade, será forçosa.

O filme de animação “A Princesa Mononoke” é um hino e um monumento biblíco a esta interdependência Homem-Natureza. Passou no dia de Ano Novo na RTP2. Tenho pena de quem não viu. Por isso, let's look the trailler:


_